10 conselhos para melhorar a suas finanças pessoais Blog Mais Valor

23/07/2021, atualizada em: 20/08/2021

10 conselhos para melhorar a suas finanças pessoais

Quer melhorar a sua saúde financeira, mas não sabe como? Então dá uma olhada nestes 10 conselhos que nós separamos e veja como é possível dividir os seus rendimentos com assertividade, economizar, juntar dinheiro para emergências, ou até mesmo investir!

1- Fracione seu dinheiro

Parece óbvio, mas saber fracionar os seus rendimentos com assertividade é essencial para ter uma boa relação com o dinheiro.

Para isso, você pode utilizar o método 50-20-30 para distribuir sua renda. Esse método foi criado por Elizabeth Warren, conhecida senadora democrata norte-americana e ‘guru’ das finanças pessoais.

Funciona assim:

  • 50% para necessidades: aqui devem estar as despesas essenciais como alimentação, transporte, aluguel, saúde, educação, etc.
  • 30% para gastos não essenciais: valor destinado para gastos extras como passeios, viagens, serviços de “streaming” ou TV a cabo, compra de produtos não essenciais.
  • 20% pagar dívidas, guardar e investir: é muito importante deixar no orçamento um valor para possíveis emergências e investimentos. Isso é essencial para ter uma boa relação com o dinheiro, além de evitar que você tenha que recorrer a um empréstimo.

É preciso muita disciplina para colocar essa divisão em prática no dia a dia, mas é uma técnica que vale a pena seguir para ter uma boa saúde financeira.

2 - Anote todos os gastos e planeje-se!

Além de saber como fracionar seus rendimentos, para ter um bom relacionamento com o dinheiro, é necessário saber exatamente para onde ele está indo.

Nesse sentido, você deve realizar um planejamento financeiro. Não precisa ser nada muito complexo, o ideal é que seja simples e faça parte da sua rotina.

Verifique as suas entradas e saídas, os gastos fixos e esporádicos e anote tudo!

Pode ser em um bloquinho de notas, planilha do Excel, aplicativo, tanto faz… O importante aqui é que você consiga visualizar exatamente para onde está indo seu dinheiro.

O objetivo é que, com isso, seja possível avaliar com clareza quais são os gastos mensais e despesas que podem ser cortadas do orçamento. Além disso, dessa forma é possível mensurar o quanto guardar ou investir todo mês.

Passo a passo para fazer um bom planejamento financeiro.

3- Renegocie suas dívidas

Não é possível ter saúde financeira estando com dívidas ativas. Por isso, você deve mapear todas as suas dívidas e negociá-las.

Dessa forma, é possível realizar o parcelamento dos débitos, além de evitar que as taxas e juros continuem subindo e aumentando o valor da sua dívida.

Outra dica é avaliar se vale a pena pedir um empréstimo para quitar as dívidas ou pedir a portabilidade da dívida, pois com os valores do crédito é possível quitar o débito de uma vez, possibilitando condições e valores mais vantajosos.

Ainda com dúvida? Confira essas 7 dicas para quitar as dívidas em 2021.

4- Estabeleça metas e objetivos financeiros

Para manter o foco, todo mundo precisa de um incentivo, certo? É justamente por isso que é tão importante traçar metas e objetivos para o seu dinheiro.

Por exemplo, se seu objetivo é um carro novo, você deve pesquisar sobre valores e determinar quanto deve juntar em dinheiro para conseguir realizar a compra.

Para isso, você pode distribuir o seu objetivo em pequenas metas que te levem ao objetivo final.

5- Aprenda como gastar menos

Saber como economizar não é uma tarefa fácil, exige dedicação e esforço até se tornar algo natural.

O primeiro passo é analisar as suas finanças e cortar todos os excessos. O ideal é que o seu orçamento seja equilibrado e siga a regrinha do 50-30-20 que explicamos anteriormente.

Outra dica é verificar se os seus gastos atuais podem diminuir. Por exemplo, é possível pagar mais barato pela sua TV por assinatura, sem prejudicar o uso? Se a resposta for sim, mude o pacote!

O mesmo vale para todas as suas despesas. Inclusive, aproveite para ver o quanto você paga em taxas de cartões e contas bancárias e verifique se é possível cortá-las.

6- Junte uma reserva para emergências

Nunca se sabe o dia de amanhã, mesmo quem depende de uma renda fixa, precisa sempre estar preparado para eventuais gastos extras.

Além disso, o hábito de guardar dinheiro é extremamente necessário para quem quer melhorar a saúde financeira.

Nesse sentido, não há um valor ideal para a reserva de emergências, ele varia de acordo com as necessidades de cada pessoa. Em linhas gerais, os especialistas aconselham guardar pelo menos o valor necessário para 6 meses de gastos.

7- Escolha onde guardar seu dinheiro e invista

Mais do que apenas guardar dinheiro, você precisa escolher com sabedoria aonde irá guardá-lo, principalmente se quer valorizar os seus ganhos.

Busque alternativas que tenham uma boa rentabilidade e baixo risco, como:

  • Tesouro Direto.
  • Certificados de depósitos bancários.
  • Fundos de renda fixa.

8- Use a tecnologia para melhorar a sua saúde financeira

A tecnologia está aí para facilitar a nossa vida, e isso não seria diferente com as finanças. Hoje existem várias ferramentas que podem ajudar a sua vida financeira.

Por exemplo, para fazer o seu planejamento financeiro é possível utilizar apps como: Mobills, Organizze, Guia Bolso, entre outros.

Já quando for realizar compras, você pode contar com sites e aplicativos de comparação de preços, brechós online e sites de revenda — desde que seja de confiança, seguro e com procedência!

São inúmeras possibilidades, o importante é pesquisar bem antes de realizar a compra.

9- Invista em educação

Se você quer ter uma boa vida financeira é importante SEMPRE investir em educação.

Busque informações que possam melhorar suas finanças, investimentos. Também vale a pena buscar especializações que possam alavancar a sua carreira ou gerar uma renda extra.

10 – Se precisar de empréstimo, prefira o crédito consignado

Caso precise de crédito para emergências, uma das melhores opções é o crédito consignado, ele possui taxas bem menores se comparado a outras opções, como cartão de crédito e cheque especial.

Além disso, os valores das parcelas são descontados diretamente da folha de pagamento. Dessa forma, o devedor sabe exatamente quanto irá pagar e evita o atraso das parcelas, que podem acarretar mais juros e no aumento da dívida.

Gostou das dicas? Converse ainda hoje com um dos nossos consultores e veja como podemos ajudar a realizar os seus objetivos de um jeito seguro, prático e com as melhores condições do mercado!

Fontes:

Ao acessar nosso site e serviços, você concorda com as condições de nossa política de privacidade e termos de uso.