Transferência de dívida: como funciona e quando vale a pena Blog Mais Valor

15/06/2021

Transferência de dívida: como funciona e quando vale a pena

Se você está com dificuldade para quitar seus empréstimos e/ou financiamentos, ou acha que está pagando muitos juros pelo débito, talvez a transferência de dívida seja a opção certa para você!

Com a portabilidade de crédito, você pode diminuir as taxas e garantir opções de pagamento mais vantajosas para os seus empréstimos e financiamentos.

Quer saber como? Confira neste artigo:

  • O que é transferência de dívida.
  • Como funciona a transferência de crédito.
  • Quais categorias de dívida podem ser transferidas.
  • Quando vale a pena pedir a portabilidade do débito e muito mais!

O que é transferência de dívida?

A transferência ou portabilidade de crédito, permite que uma ou mais dívidas sejam transferidas de um banco para outro a qualquer momento, segundo o interesse do contratante.

Na prática, o novo banco ou instituição financeira contratada quita a dívida anterior e assume um novo contrato de crédito com a pessoa que solicitou a transferência.

Essa opção foi criada em 2013, pelo Banco Central do Brasil, a partir da Resolução nº 4.292/2013, que regulariza a transferência para pessoas físicas.

O objetivo foi estimular a concorrência entre as instituições credoras e dar maiores possibilidades e opções de pagamentos mais atrativas para os clientes.

Como funciona a transferência de crédito?

Para realizar a portabilidade da dívida é simples, o cliente primeiro deve obter as informações referentes a dívida junto à instituição credora. Nesse caso, ele precisa verificar: o saldo devedor, número de parcelas quitadas e a vencer, taxas, juros, etc.

Feito isso, o segundo passo é negociar as novas condições com a instituição financeira interessada pela portabilidade. Depois, fica sob responsabilidade da nova credora quitar a dívida anterior.

Vale ressaltar que os custos referentes à transferência de recursos para a quitação da dívida (como taxas de operação), não podem ser repassados aos clientes.

Depois de todo o processo, a instituição original tem até cinco dias para renegociar a dívida ou enviar as informações necessárias à nova credora, que irá finalizar o processo de portabilidade.

Há a seguinte restrição para portabilidade de crédito envolvendo pessoas físicas:

"O valor e o prazo da nova operação não podem ser superiores ao valor do saldo devedor e ao prazo remanescente da operação original a ser liquidada", Banco Central.

Mas quais dívidas eu posso transferir?

É possível transferir qualquer modalidade de empréstimo e/ou financiamento, como:

Quando vale a pena pedir a portabilidade de crédito?

A principal função da transferência de dívidas é oferecer ao contratante uma opção mais vantajosa para quitar o débito.

Portanto, se você sente que está pagando muitas taxas ou não está feliz com as condições dadas pela empresa credora, já são bons sinais de alerta para buscar a portabilidade do empréstimo.

Porém, você deve ter atenção a alguns pontos antes de realizar esse processo, sendo:

Isso significa comparar as informações de despesas, taxas e custos dos serviços bancários, e demais condições oferecidas pelas instituições financeiras.

Nesse sentido, a portabilidade de empréstimo só valerá a pena se os valores oferecidos (taxas e juros) pela nova credora forem menores e mais vantajosos que os pagos pela dívida original.

Agora que você já sabe como funciona a portabilidade de crédito, que tal contar com as taxas e vantagens que só a Mais Valor oferece?

Transferindo seu empréstimo com a Mais Valor, você pode:

  • Diminuir as taxas de juros;
  • Garantir melhores condições de pagamento;
  • Ter maior segurança para o pagamento da dívida, com parcelas debitadas em folha de pagamento e muito mais!

Consulte ainda hoje um dos nossos especialistas!

Fontes: